O Sydney String Centre

O som encontra a tecnologia: o acorde perfeito.

Uma empresa australiana e a inspiração italiana se unem para ajudar o violino, um dos instrumentos mais amados do mundo e símbolo de atenção e habilidade de grandes artesãos, a evoluir sem perder o alto nível de qualidade.

Cliente: THE SYDNEY STRING CENTRE
Cidade: SYDNEY
País: Australia
Produto: ROVER A 16

Os primeiros violinos foram construídos em Cremona, no Norte da Itália, no século XVI. Nomes como Stradivarius e Guarneri são alguns dos nomes mais conhecidos entre os primeiros fabricantes da região e seus violinos que chegaram até nós são, ao mesmo tempo, obras de arte insubstituíveis e instrumentos musicais inestimáveis. Os violinos mantiveram sua popularidade ao longo da história por seu formato reduzido e som agradável e são, ainda hoje, um dos instrumentos musicais mais famosos do mundo. A família Glanville fornece instrumentos de cordas a músicos australianos há vinte e seis anos e, com a parceria da Biesse, manterá sua tradição de criar um produto de qualidade e riqueza a um preço acessível.

Os violinos mantiveram sua popularidade ao longo da história por seu formato reduzido e som agradável e são, ainda hoje, um dos instrumentos musicais mais famosos do mundo. A família Glanville fornece instrumentos de cordas a músicos australianos há vinte e seis anos e, com a parceria da Biesse, manterá sua tradição de criar um produto de qualidade e riqueza a um preço acessível. O Sydney String Centre, localizado em Chatswood, um distrito no norte de Sydney, é um dos poucos fornecedores de instrumentos de cordas da Austrália. Em todo o país, há somente um pequeno grupo de luthiers especializados que produz um número limitado de instrumentos; a maior parte é atualmente importada da Europa ou da Ásia. Os instrumentos feitos à mão no país são de altíssima qualidade, mas sua produção é cara e demorada, e portanto são geralmente inacessíveis para a maioria das pessoas. Foi assim que David, um luthier, e Carmel, uma professora de música, para suprir a necessidade de uma linha de instrumentos concebida para todos, de jovens estudantes a músicos profissionais, criaram em 1990 sua empresa em Naremburn, em uma pequena garagem. O foco da Sydney String Centre sempre foi a atenção aos detalhes, os produtos de qualidade e a ótima assistência. A empresa busca criar um produto de qualidade a preço acessível para todos aqueles que querem tocar o mais suave dos instrumentos de cordas. O produto importado é acabado por David Glanville e sua equipe de luthiers qualificados e é preparado e afinado profissionalmente para produzir um som da mais alta qualidade.

Para ter controle completo da qualidade e fornecer um serviço mais rápido e personalizado, David e Carmel concordaram com sua filha Libby e seus filhos Doug e Max em investir em tecnologia para levar a Sydney String Centre a um novo patamar. O plano era ser o primeiro fabricante de violino na Austrália a combinar processos de produção avançados com as altíssimas habilidades de luthier, como explicou Doug: “Tratamos todos os nossos clientes da mesma forma, sejam eles estudante ou concertistas que tocam nos palcos do mundo inteiro. É importante que eles tenham a melhor qualidade pelo preço do instrumento, que vivam a melhor experiência possível."

O Sydney String Centre: Foto 1

A transição para a fabricação não seria possível sem o impressionante talento da família Glanville e sem a Biesse, que teve um papel importante como parceiro tecnológico. Como confirmou Max: "Produzimos um número pequeno de instrumentos de alta qualidade, mas com a Biesse vimos a oportunidade de trazer parte da nossa produção externa de volta para a Austrália. Escolhemos a Biesse porque ouvimos somente comentários positivos sobre o produto e também sobre o software. Como engenheiro industrial, estou entusiasmado com as possibilidades que um bom software garante. Agora podemos controlar cada fase da produção e criar um produto de qualidade superior.”

Quando, há um ano, a família Glanville começou a procurar uma empresa que pudesse fornecer as máquinas necessárias, a primeira questão foi: como seria possível produzir um produto de qualidade na Austrália, considerando o alto custo da mão de obra? A resposta veio com a visita à fábrica de Pesaro para um teste antes que as empresas decidissem colaborar. Uma série de peças foi processada em gabaritos personalizados e a Biesse se esforçou ao máximo que qualquer dúvida de Max fosse resolvida. "Durante a nossa visita, a Biesse colocou à nossa disposição todos os seus técnicos altamente qualificados, que nos ajudaram a alcançar o resultado que estávamos buscando, superando nossas expectativas."

Vencedor do prêmio Young Australian Designer do ano, Max pôde explorar todas as possibilidades do software bSolid e todo o potencial da máquina Rover A de 5 eixos. Max ficou impressionado com a capacidade do software de visualizar peças complexas, como as partes moldadas frontais e traseiras, o braço e a voluta. A habilidade de simular em tempo e espaço real a fabricação de cada peça era uma solução fantástica. “Sendo um designer industrial, o software bSolid me permitiu ultrapassar os limites de uma profissão centenária." Esse era o último elemento que faltava para que David e Carmel se decidissem a fazer um investimento tão importante.

Max compara um instrumento de cordas a um carro ou relógio de luxo, cujos componentes são feitos em máquinas, mas montados à mão. "Precisávamos de uma máquina que além de ser capaz de produzir as peças complexas necessárias para garantir a precisão que queríamos alcançar, pudesse usar ferramentas de pequeno diâmetro para processar completamente a peça, especialmente a voluta. Um violino é uma obra de arte e acreditamos que podemos produzir arte em escala industrial, que o artesanato pode ser feito à máquina. Parte da transferência artística está na capacidade de Biesse de produzir peças com tolerâncias que normalmente só seriam possíveis de alcançar manualmente. Você pode fazer quase qualquer coisa com uma máquina, mas o que acho mais empolgante é o que podemos explorar com a nossa Rover A”, afirma Max.

"A qualidade é muito importante para nós: queremos ser lembrados como os inovadores modernos da fabricação de violinos no mundo. Precisamos de um processo de produção flexível para poder fazer mudanças e porque precisamos oferecer aos nossos clientes um serviço rápido; precisamos ser capazes de produzir pequenos volumes a um preço acessível. A Rover A nos dará essa flexibilidade e vantagem competitiva”, diz Max. O primeiro violino de quatro cordas é atribuído a Andrea Amati, que foi aprendiz de alguns dos grandes fabricantes de violino da história. É natural que sua cidade natal, Cremona, esteja a apenas 300 quilômetros de Pesaro, a casa de Biesse. É natural para a Biesse ajudar a dar continuidade à tradição desses grandes mestres no mundo moderno. Doug e Max concordam: "Nossos instrumentos são baseados em designs clássicos italianos e agora a tecnologia italiana nos permitirá explorar novas fronteiras aqui na Austrália". A arte encontra a tecnologia de uma forma acessível a todos: esse á agora o "acorde perfeito".

Como um designer industrial, o software bSolid me permite expandir os limites de uma arte centenária.
Max Glanville Coproprietário
Max Glanville
O Sydney String Centre: Foto 2
O Sydney String Centre: Foto 3
O Sydney String Centre: Foto 4
O Sydney String Centre: Foto 5
Grandes ideias precisam de um grande parceiro.
Descubra como pode transformar os seus negócios com a Biesse ao seu lado.
Go to top of page